Como se salvar da “sobrecarga de informações”

Ayude a su cerebro a ordenar y almacenar lo que necesita.
Como se salvar da “sobrecarga de informações”
Como se salvar da “sobrecarga de informações”

Resumen:

Começar um novo trabalho é empolgante. Mas com isso vem a grande tarefa de entender, assimilar e digerir toneladas de novas informações. Isso pode sobrecarregar seu cérebro e, se não for gerenciado, tornar seu novo papel brilhante muito menos agradável.

  • A sobrecarga de informações pode acontecer rapidamente (fazendo você sentir que não pode absorver outra coisa no momento) ou gradualmente (deixando você se sentindo enfadonho e incapaz de absorver qualquer outra coisa).
  • Para superar a sobrecarga, comece gerenciando a si mesmo. Quando você notar sobrecarga de informações (dor de cabeça, fadiga, frustração, mudança de humor), não a ignore e não entre em pânico. Diga a si mesmo: “Estou em um novo emprego e há muito o que aprender aqui. Não há problema em se sentir assim.” Essa conversa pessoal ajuda a normalizar a situação e torna as emoções mais fáceis de lidar.
  • Em seguida, ajude seu cérebro a ajudá-lo. Quanto mais suco você reservar para processar informações, menor será a probabilidade de você sofrer sobrecarga. Você pode fazer isso classificando e armazenando as informações necessárias, em vez de tentar se lembrar de tudo de uma vez.

É sempre empolgante começar um novo trabalho. Mas entre o frenesi de conhecer novos colegas, iniciar novos projetos e desenvolver novas habilidades, pode haver um igualmente estressante pressão para ter sucesso. Grande parte do seu sucesso é determinada pela rapidez com que você consegue digerir muitas informações, incluindo, mas não se limitando a novos nomes, processos, sistemas, software e responsabilidades.

Isso pode ser incrivelmente opressor e, se não for gerenciado, faça seu novo papel brilhante muito menos agradável. Quando nossos cérebros estão sobrecarregados com muitos dados do mundo exterior, podemos nos esforçar para absorvê-lo, processá-lo e dar sentido a isso, prejudicando nossa capacidade de tomar decisões inteligentes e ter o melhor desempenho possível. O Grupo de pesquisa sobre sobrecarga de informações (sim, isso existe) tem uma palavra para esse sentimento: infoxication (também conhecido como smog de dados).

Há algumas maneiras diferentes de isso acontecer:

Rapidamente: Na tentativa de aprender o máximo possível em sua nova função, você passa a maior parte do tempo visualizando apresentações após apresentações ou lendo relatórios longos e complexos. Boom! Sobrecarga. No meio de uma reunião importante, você de repente sente cheio, como se você não aguentasse outra coisa naquele momento.

Gradualmente: Você passa seus primeiros dias no trabalho examinando relatórios, conhecendo novas pessoas e lendo sobre os vários objetivos organizacionais com pequenos intervalos entre eles. No final de cada dia, você sente entediante e incapaz de absorver qualquer outra coisa.

Ambas as experiências são irritantes. Mas se você puder empurrar suas frustrações para o lado e reconhecer que o plenitude ou embotamento você está sentindo que é realmente sobrecarga de informações (uma parte normal de começar um trabalho), então você pode gerenciá-la melhor – e você deve. Quando deixada desmarcada, a intoxicação não afeta apenas seu desempenho, mas pode causar problemas relacionados ao estresse, como dores de cabeça, humor irritável, insônia, um sistema imunológico enfraquecido, uma incapacidade de se concentrar e esgotamento. 

Como responder à sobrecarga

Tenha em mente que todos experimentam sobrecarga de informações de tempos em tempos, especialmente ao iniciar algo novo. Para superar a sobrecarga, há duas coisas que você precisa gerenciar: você e seu cérebro.

Gerencie você mesmo

Quando você notar sobrecarga de informações (dor de cabeça, fadiga, frustração, mudança de humor), não a ignore e não entre em pânico. “Emoções fortes não são ruins e não precisam ser empurradas para baixo ou controladas” escreve Dra. Susan David, autora de Agilidade emocional. Diga a si mesmo: “Estou em um novo emprego e há muito o que aprender aqui. Não há problema em se sentir assim.”

Essa conversa pessoal ajuda a normalizar a situação e torna as emoções mais fáceis de lidar. Lembre-se de que as emoções evoluíram como um sistema de sinalização. Eles são dados pontos que podem ajudá-lo a entender melhor a si mesmo e seus valores. Nesse caso de sobrecarga, eles podem esclarecer o que está acontecendo ao seu redor que está fazendo você se sentir sobrecarregado e a melhor maneira de lidar com isso.

O truque para superar a sobrecarga de informações é se distanciar o suficiente de seus sentimentos para reconhecer isso. Eu recomendo praticar o que os psicólogos chamam rotulagem emocional. Envolve nomear a emoção que você está experimentando para ajudá-lo a dar um passo para trás e simplesmente notar o sentimento, em vez de deixá-lo. impacto você mental e fisicamente.

Por exemplo, da próxima vez que você estiver se sentindo sobrecarregado, em vez de se estressar pensando em algo vago como: “Estou tão ESTRESSADO”, considere se o seu estresse é manifestando-se na forma de sentimentos mais específicos como raiva, tristeza, ansiedade ou constrangimento. Ao nomear esses sentimentos, tente se distanciar deles e observe o que surge para você. Você pode, por exemplo, perceber que está irritado com o tempo que leva para aprender um novo sistema no trabalho. Em uma inspeção mais detalhada, você pode perceber que sua raiva é o resultado de impaciência e confusão.

Agora você pode pegar sua resposta inicial de “Estou tão sobrecarregado!” e reformulá-lo como “Estou muito impaciente para aprender esse sistema e isso dificulta o aprendizado. Como resultado, sinto-me confuso com isso e isso me deixa com raiva.” Esse problema é muito mais fácil de entender e resolver.

A última etapa é pensar em possíveis soluções para o problema que você identificou:

  • Impaciência: Faça uma pequena pausa, dê um passeio e redefina sua atenção e foco ao retornar. Lembre-se de que todos os sistemas levam tempo para aprender e você está fazendo exatamente isso — aprendendo.
  • Confusão: identifique as três principais coisas que você acha difíceis de decodificar. Procure o apoio de seu chefe ou de um membro da equipe, ou pesquise tutoriais online para orientá-lo.

É importante ressaltar que, se você não fizer o trabalho de reconhecer e abordar suas emoções, é mais provável que você experimente menor bem-estar e sintomas relacionados ao estresse.

Gerencie seu cérebro

O objetivo aqui é fazer o que puder para ajudar seu cérebro a ajudá-lo. Quanto mais suco você reservar para processar informações, menor será a probabilidade de você sofrer sobrecarga.

Escolha cuidadosamente como você gasta sua energia e evite fazer coisas que fazem seu cérebro trabalhar mais do que o necessário. Aqui estão algumas maneiras de fazer isso:

Classifique suas informações. CEO do NeuroBusiness Group e psiquiatra Shrini Pillay, diz que seu cérebro é como um equipamento inteligente que” que suga informações.” Nosso cérebro mantém o que precisa mais imediatamente em nossa memória de curto prazo e combina informações que talvez precisemos usar no futuro para armazenar em nossa memória de longo prazo. Para as informações que não são necessárias, nosso cérebro age como um triturador de lixo, classificando, reciclando e excluindo. Você pode ajudar seu cérebro a classificar e armazenar melhor as informações para evitar sobrecarga.

Por exemplo, se você estiver assistindo a uma apresentação e os dados apresentados estiverem disponíveis para serem examinados após a sessão, você não precisa se lembrar de tudo no momento. Em vez disso, dê toda a atenção à apresentação para que você possa entender o que está sendo dito. Trabalhar para entender os principais pontos de uma apresentação é um bom uso das funções de resumo e destilação do cérebro.

Como alternativa, se seu colega estiver lhe dando instruções ou conselhos, talvez valha a pena tomar nota, integrar e armazenar essas informações conscientemente para o futuro. Seu colega já fez o trabalho de resumir e classificar o que você precisa saber, então por que desperdiçar seu tempo e energia buscando isso novamente mais tarde?

Use a tecnologia para armazenar o que você não precisa imediatamente. As organizações geralmente têm sistemas de gerenciamento de conhecimento digital para armazenar e recuperar informações importantes. Você pode fazer o mesmo para reduzir desordem cerebral.

Eu recomendo criar um documento do Word ou do Google no qual você anote informações que seu cérebro não precisa lembrar ou armazenar. Nos primeiros dias de um novo emprego, essa é uma maneira inteligente de descarregar a sobrecarga.

Por exemplo, uma colega, ao ser contratada, começou seu próprio tipo de página na Wikipédia para as pessoas, papéis, produtos e insights que ela precisava conhecer em sua nova função. Ela revisava o documento a cada poucos dias, adicionando informações, esvaziando seu cérebro e deliberadamente externalizando informações neste sistema de conhecimento auto-fabricado.

Faça sentido à medida que você vai. Se você é um anotador em reuniões, verifique se você não está transcrevendo notas como um repórter do tribunal em seu laptop. Notas manuscritas que resumem ajuda com maior compreensão, retenção e lembrança do que digitando páginas e páginas de detalhes. As informações de qualidade que você classificou, sintetizou e resumiu são mais significativas e úteis.

Técnicas como escrever listas de pontos-chave à mão, escrever duas colunas de informações contrastantes, esboçar um mapa mental de pontos relacionados entre si ou rabiscar ícones desenhados à mão ajudam a reduzir a carga sob a qual seu cérebro está. No final de uma reunião, revise suas anotações e guarde-as em sua própria Wikipédia ou sistema de conhecimento externo.

Reduza a troca de tarefas. Fazer malabarismos ou multitarefas não é bom para você física ou mentalmente e é pior para sua produtividade e cognição. Pesquisa mostra que fazer muito disso pode fazer com que seu QI caia e impacte seu cérebro como ficar sem dormir. Não é um bom estado para se estar quando você está em uma nova função!

Para maior controle, progresso e resultados, concentre-se em uma tarefa por cerca de 25 minutos (com base na eficiência do a técnica Pomodoro). Você pode ir por mais tempo do que isso, mas não se esqueça de fazer uma pausa. A atividade focada é menos desgastante do que a multitarefa, mas você não pode continuar trabalhando sem parar.

Faça micro pausas e mantenha-se hidratado. Pausas curtas ou distrações deliberadas durante o dia esvazie a carga de informações carregada em sua memória de curto prazo. Após um período de intenso trabalho ou foco, fazer uma pausa permite que as memórias sejam cimentadas e armazenadas para o futuro. Afaste-se de sua mesa e dê uma curta caminhada, dê um tapinha no cachorro ou gato, converse com outro humano ou tome um pouco de ar fresco e vento no rosto.

Isso ajuda seu cérebro a funcionar melhor do que se você continuasse pressionando. E lembre-se de comer e se manter hidratado. Nosso cérebro drena glicose e precisa de água para funcionar, então, se não estivermos alimentando, ele não funcionará bem e sobrecarregará.

Aborde seu papel com uma mentalidade de curiosidade e aprendizado, e não como um campeão da memória. Gerenciar informações é uma habilidade aprendida e envolve uma combinação das técnicas mencionadas acima. Nessa nota, é hora de um micro-break esvaziar a carga cognitiva que você está carregando.


  • Lynne Cazaly is the author of ‘Argh! Too much information, not enough brain: A Practical Guide to Outsmarting Overwhelm.’ As a speaker and award-winning author, she helps individuals and organisations think and work in ways that a more productive, collaborative, creative and effective.
  • Related Posts